Genealogia

                                     Genealogia do sistema Louva-a-deus do Norte (Hong Kong/USA)

 

               Quando se pratica arte marcial chinesa (Wu Shu, conhecido por Kung Fu, mas, a grafia oficial é Gong Fu), é comum a pergunta "quem é o seu professor/mestre"? Esta pergunta aparentemente ingênua que parece expressar apenas um tipo de "curiosidade" revela a busca por um tipo de informação que remete à "legitimidade" do que se pratica. Se o professor/mestre foi autorizado por outro professor/mestre, isto significa que se trata de alguém com "legitimidade" dentro de um sistema de arte marcial. Então, no fundo, ao perguntar "quem é o seu professor/mestre"?, busca-se saber a legitimidade do que se pratica. A legitimidade se estabelece, também, no papel do aprendiz. Sem o reconhecimento daquele que aprende, quem ensina sequer existe. De outro lado, quando se ensina sem que alguém legítimo tenha autorizado, isto não significa demérito nem do que se ensina e muito menos incapacidade de ensino. Portanto, ter legitimidade no mundo das artes marciais é muito importante, por certo, mas não é tudo.

 

             Há quem tenha legitimidade, isto é, reconhecimento de algum professor/mestre que foi também autorizado a ensinar, no entanto, faltam-lhe outros aspectos também caros neste mundo da luta, como por exemplo, o respeito, a compreensão e o diálogo. É por isto que não se deve julgar quem, eventualmente, não tenha "legitimidade" do que se pratica, desde que o ambiente dialógico seja possível, desde que haja respeito entre as pessoas e, principalmente, desde que se tenha abertura à compreensão daquilo que se desconhece. É assim o entendimento dos nossos parceiros, de respeito absoluto às pessoas que nos procuram, sejam conhecedoras ou não de outras artes marciais. Aprendemos com todos, sempre, eis o nosso lema!

 

            No caso do Louva-a-deus do Norte (nomenclatura utilizada pelo Grão-Mestre Wong Hon Fan em Hong Kong), a genealogia, que descreve a legitimidade daquilo que se pratica no Lai Kungfu, pode ser assim visualizada:

 

Fundador - Wong Long (especialista em técnicas de espada)

2.a geração - Sing Siew (taoísta de origem desconhecida)

3.a geração - Lee Sarn Jin (até esta geração, praticava-se 3 ou 5 formas (Kai Uwe Pel, 2017)

4.a geração - Wong Wing Sang (provocou uma grande revolução tendo incorporado muitas formas ao sistema)

5.a geração - Fahn York Tung (recebeu o convite para ensinar na Jing Mo e indicou seu discípulo Law)

6.a geração - Law Gwong Yook (saiu de Shanghai para ensinar em Hong Kong)

7.a geração - Wong Hon Fan (o "rei" do Louva-a-deus de Hong Kong graduou 25 discípulos)

8.a geração - Brendan Lai (conhecido por "mãos de relâmpago" e pioneiro nos USA 

9.a geração - Samuel Mendonça ph. d. (inaugurou o Lai Kung Fu Brasil na presença de seu Mestre, em 1999)

 

Para conhecimento dos instrutores formados pelo Instrutor Chefe Samuel Mendonça em 2014 e em 2019, acesse o link "Instrutores"

 

Há outros instrutores autorizados a ensinar no Brasil pelo Lai Kung Fu, no entanto, estão legitimados justamente pelos graduados na Primeira Formatura de Instrutores, realizada em 2014, em Campinas.

 

Fontes: MENDONÇA, Samuel (org.) Brendan Lai: Praying Mantis System in Brasil. Campinas: Librum, 2014.

PEL, Kai Uwe. Luo Guang Yu Seven Star Praying Mantis Kung Fu, 2017. 

Samuel Mendonça é professor titular da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, desde o ano de 2000, com atuação nas áreas de Direito e de Educação. Ele orienta teses de doutorado, dissertações de mestrado e pesquisas de iniciação científica. É Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq e foi o Presidente Fundador da Associação Latino-americana de Filosofia da Educação. Resumo de Currículo FAPESP/CNPq.

 

Nas artes marciais, Samuel Mendonça iniciou sua prática aos 12 anos de idade no Judô, na cidade de Franca, SP. Praticou diferentes artes marciais e focalizou sua atenção e treinamento no sistema Louva-a-deus sob a orientação do Grão-mestre Brendan Lai em São Francisco, na Califórnia, tornando-se discípulo direto do fundador do Louva-a-deus. Por recomendação de seu Professor Lai, Samuel manteve seus estudos em New York, com seu irmão mais velho de treinamento, o experimente Master Tony Chuy

 

Doutor Mendonça fundou o Instituto de Gongfu Brendan Lai, com autorização e presença do Grão-Mestre Brendan Lai, em 1999 com seu irmão de treinamento, Paulo Junqueira da Costa. Depois de sua cirurgia de artroplastia de quadril, Samuel retomou o ensino de Artes Marciais por meio de um novo conceito, o de Filosofia da Travessia. 

 

Samuel Mendonça praticou também o Zhouyi quan, Chen Taiji quan e Toun Bei Chan Quan com o Grão-mestre Chen Guo Suo e seu discípulo Reinaldo Silveira. Em 2014, Mendonça teve a honra de praticar Taiji quan em Shanghai, China. Além disto, praticou Baoding e Beijing Shuaijiao com o Prof. Marcelo Antunes e Mestre Nereu Graballos (in memoriam).

 

Samuel Mendonça ministrou seminários em Genebra, Suíça, em Fort Worth, Dallas, USA e em diversos estados brasileiros. Foi Diretor Técnico de Wushu Tradicional da Conferação Brasileira de Gungfu/Wushu por mais de 10 anos e Vice-Presidente da Federação Paulista de Kungfu/Wushu.

https://northernmantisbrazil.com/samuelmendonca

                                  Biografia do Grão-Mestre Brendan Lai (1942-2002)

 

Após formar-se no colégio Wah Yan em Kowloon, Hong Kong, Dr. Brendan Lai (Lai Dat Chung) emigrou para os Estados Unidos em 1961, onde estudou por vários anos no Napa Junior College e na San Jose State University. Paralelamente, deu continuidade a suas profundas pesquisas no sistema de gongfu que aprendeu em Hong Kong como discípulo do Grão-Mestre Wong Hon Fan.

 

Em 1967, começou a ministrar aulas de gongfu e a trabalhar como programador de computadores. Em 1972, abriu uma empresa de equipamentos para artes marciais, a Brendan Lai Supply Company, e passou a dedicar tempo integral às aulas de gongfu em sua nova escola, a Northern Praying Mantis Kung Fu Academy. Desde então, ele apresentou diversas demonstrações, arbitrou inúmeros torneios, e ainda atuou como Mestre de Cerimônias de diversos eventos marciais de prestígio.

 

Dr. Lai foi indicado três vezes para o "Hall of Fame", primeiramente pela Inside Kung Fu Magazine, em 1982, como "Kung Fu Instructor of The Year"; posteriormente, pela Black Belt Magazine, em 1984, como "Kung Fu Artist of The Year"; e novamente pela Inside Kung Fu Magazine, em 1990, como "The Man of The Year". Ele também foi capa dessas revistas inúmeras vezes, bem como de outras publicações nos USA, na Europa, Inglaterra, Hong Kong, China e Brasil.

 

No total, mais de 100 publicações do mundo todo contêm artigos sobre Dr. Lai, e também, sobre seu sistema de gongfu. Isso o torna um dos artistas marciais mais conhecidos de nosso tempo, junto de outros renomados como Bruce Lee e Jackie Chan. Em 1985, Dr. Lai foi condecorado como "Kentucky Colonel" pelo governador do Kentucky, pelo seu extenso empenho e trabalho de aprimoramento de saúde física. Ele foi um dos poucos americanos dentre presidentes e cientistas famosos a ser honrado com essa condecoração.

 

De 1989 a 2002, Prof. Lai foi membro do corpo docente do Departamento de Educação Física da San Francisco State University, ministrando um conceituado curso da arte de Chin-Na. Ele foi uma das primeiras pessoas a levar o gongfu para uma universidade americana. Em 1990, a "Eurotechnical Research University" conferiu o título de Ph.d. para o Professor Lai, baseado no seu extenso conhecimento sobre gongfu e suas vastas contribuições para as artes marciais, tornando-o a primeira pessoa a receber esse título acadêmico no gongfu. A universidade também conferiu ao Prof. Lai o título de "Dean" em Estudos Chineses na Faculdade de Artes Marciais, tornando-o o primeiro americano a ocupar esta importante posição. Em 1991, tanto a Shandong Yantai International Praying Mantis Association como a Shandong Liu-Her Tan-Lang Association apontaram Prof. Lai como presidente. Em 1992, a Shandong Quan-Shan Wushu Academy, presidida pelo famoso mestre de louva-a-deus Zheng Bin-Dau, apontou Prof. Lai como conselheiro, indicando o status de honra e respeito de Dr. Lai. Em 1994, Prof. Lai afastou-se da San Francisco State University e passou muito tempo viajando pelo mundo ministrando seminários.

 

Seu objetivo era tornar possível para as pessoas uma melhor compreensão das artes marciais chinesas e sua cultura, o que fez com êxito nos diversos países que visitou. Em 1999, inaugurou no Brasil o Instituto de Kungfu Brendan Lai e apontou o Prof. Samuel Mendonça como Instrutor Chefe. Retornou em 2000 e em 2001. Faleceu no dia 23 de setembro de 2002, aos 59 anos, nos EUA.

Fonte: MENDONÇA, Samuel (org.) Brendan Lai: Praying Mantis System in Brasil. Campinas: Librum, 2014.

      Samuel Mendonça

Siga

​© 2023 por Espaço Lai. Orgulhosamente criado com Wix.com